O seu negócio,
a nossa enegia
eni oil products

A Eni é uma companhia de energia empenhada no crescimento da exploração, produção, transporte, transformação e distribuição de petróleo e gás natural. Operamos comercialmente em 66 países ao redor do mundo.
 

testo

 



Eni Refinarias e Marketing na Europa.

Com 5 refinarias próprias em Itália (Sannazzaro, Livorno, Venice, Taranto y Gela), a Eni é o operador líder em Itália no sector de refinaria e distribuição de produtos petrolíferos.

Neste sector, está também presente na Europa central e oriental através de participações em várias refinarias, em Retail e em Wholesale.

O transporte, distribuição e comercialização dos produtos derivados do petróleo, são feitos, tanto em Itália como em outros países por meio de uma estrutura logística extensa e integrada.

Na Eni, ao privilegiar a venda por grosso de produtos acabados, significa que, os produtos que não são comercializados através da Rede de estações de serviço, e, tendo como objectivo valorizar as necessidades e oportunidades de mercado, recebem um investimento prioritário não só na qualidade, mas também no estabelecimento de relações estáveis e a longo prazo com os clientes, sem esquecer o apoio imprescindível das iniciativas de marketing.

Processo de refinação do petróleo.

A refinação do petróleo para produção de produtos acabados (GPL, Gasóleo, Gasolina) é levado a cabo através de um processo de destilação fraccionada (processo “físico”), seguido de operações de conversão e melhoria (processos / transformações de natureza “química”).
 

testo

 


DESTILAÇÃO FRACCIONADA
A destilação fraccionada é um processo com dois passos:  

  • no primeiro é feito por pressão atmosférica (destilação atmosférica primária ou “topping”) e, ao ser mais volátil, o primeiro produto é o GPL. A este seguem-se as misturas de hidrocarbonetos cada vez mais pesados: nafta (nome dado á gasolina antes do processo de melhoria), querosene (combustível para aviões) e gasóleo;                                                                          
  • e um segundo passo em vácuo (destilação atmosférica secundária ou vácuo).

CONVERSÃO
Os componentes mais pesados dos produtos derivados do petróleo que não conseguem evaporar (diesel pesado e resíduos) são submetidos a um processo de conversão denominado de cracking, com o objectivo de fabricar produtos acabados semelhantes aos produzidos por destilação atmosférica, tais como: GPL, gasolina e gasóleo.

O Gasóleo Theavy é posteriormente enviado para equipamentos de conversão, tais como:
  • Hydrocraking: processo com alta temperatura e hidrogénio a alta pressão para obter o gasóleo.
  • FCC: é um processo de craking térmico / catalítico para obter (principalmente) gasolina.
  • Extracção por solventes: para produção de lubrificantes.

São utilizadas diferentes tecnologias de conversão nas refinarias da Eni, em particular: visbreaking, deasphalting, gasificação, LC, finfing e uma nova tecnologia desenvolvida pela Eni chamada EST (consulte detalhes na continuação).


MELHORIAS
Os produtos obtidos por destilação e conversão são submetidos a um processo de melhoria através do qual são realizadas acções necessárias na transformação dos produtos acabados: GPL, gasolina, combustível para reactores e gasóleo.
Os principais processos utilizados para isso são:
  • dessulfurização com hidrogénio, o que implica um processo para a eliminação do enxofre a fim de limitar a emissão de substâncias contaminantes;
  • optimização, um processo destinado a melhorar o desempenho da gasolina no motor.


 

ENI EST
Este ano, na refinaria de Sannazzaro de Burgondi, foi posto em pleno funcionamento uma fábrica para a conversão de resíduos. A fábrica utiliza uma tecnologia patenteada pela Eni, chamada EST (Eni Slurry Technology) com um rendimento em linha com as expectativas. 

A tecnologia EST tem a vantagem de converter completamente a carga em destilados e melhorar os resíduos da destilação dos crudes pesados e extrapesados, bem como outros recursos não convencionais.

Processo Logístico

São utilizados dois processos diferentes para transportar petróleo até às refinarias da Eni: um processo logístico primário, que utiliza uma vasta rede de oleodutos, e, um processo de fornecimento através de petroleiros para distâncias maiores.

A venda e armazenamento dos produtos acabados, GPL e Crude, é feito com recurso a um processo logístico secundário, em que a Eni é um dos principais actores em Itália, graças à sua rede tubagens própria, gestão directa e um sistema de 15 terminais distribuídos pelo país.

 

testo


As operações logísticas da Eni em Itália estão organizadas como estrutura de “hub”, com três áreas principais através da monitorização e centralização dos fluxos de rotação dos produtos, com vista a garantir maior eficiência, particularmente na recolha e processamento de encomendas.

 

Processo de distribuição por grosso e a retalho

O processo consta de várias etapas: desde a análise e planificação, até o desenvolvimento e controle das vendas.

Todo o processo comercial da Eni está estruturado de forma a garantir a distribuição eficiente de combustíveis com qualidade certificada, para satisfação do cliente, sempre em busca da melhoria do serviço.

Os produtos das refinarias são distribuídos por vários canais: Rede de estações de serviço e venda por grosso.


 

testo


Rede de estações de serviço
A rede, é uma combinação de estações de serviço Eni e Agip (próprias), tanto em Itália como noutros países. Em 31 de Dezembro de 2015, a rede de distribuição em Itália era composta de aproximadamente 4420 estações.
 

Venda por grosso
Este é um mercado de produtos acabados que não são vendidos através da rede de estações de serviço. Neste mercado, a Eni comercializa combustíveis que incluem o gasóleo para transporte, aquecimento, agricultura e para o sector marítimo, bem como gasolina e fuel oil; combustível para aviões. Entre os grandes clientes temos empresas industriais, empresas de serviços, organismos públicos e municipais, e ainda uma vasta gama de outros profissionais.

 

The new Eni: creating value through energy transition

The Strategy we presented on 28 February 2020 consists of the Long-Term Strategic Plan to 2050 and the 2020-2023 Action Plan. In general, we have designed a strategy that mixes economic and environmental sustainability. This will enable Eni to be leader in the market, to which it will supply strongly decarbonised energy products, actively contributing to the energy transition process. 

A new form of energy through innovation and sustainability

The principles guiding our journey will remain the same: promoting the UN’s sustainable development objectives – a fundamental aspect of our mission – and maintaining a solid financial position, which will still underpin all our decisions.
The strategy is a blueprint for Eni’s evolution over the next 30 years. It envisions a business enhanced by the increasing use of renewables, focused on the circular economy and based on targets for reducing our carbon footprint in line with the aims of the Paris Agreement – the commitment signed by 195 countries to reduce emissions and fight climate change.
Over the course of this evolution, which will be based on sustainability, proprietary technologies, innovation, flexibility and the resilience of company assets, Eni seeks to play an active role in the energy transition process as well as take advantage of new opportunities to develop and improve efficiency

Refining & Marketing

The main medium/long-term strategic guidelines are as follows: • expansion of bio-refining capacity to over 5 million tonnes per year, supplied exclusively with 2nd and 3rd generation "palm-oil free" feedstocks, in target areas such as the Far and Middle East, Europe for biojet fuel production and the United States; • progressive conversion of traditional Italian refining sites through new plants for production of hydrogen, methanol, biomethane and products from recycling of waste materials; • in the long-term, the Ruwais refinery in the United Arab Emirates will be the only traditional refinery in operation, capitalising on its optimal location and operational efficiency; • gradual evolution of product mix sold in retail outlets, reaching 100% decarbonised products by 2050; • Increase of additional services offer to improve margins and enhance customer loyalty. 8 In line with the medium-long term strategy, the 2020-2023 Action Plan has the following objectives: • consolidation and integration of traditional refining activities with Ruwais refinery reaching full potential including contribution from trading activities; • continued diversification through investments in biorefining. Our bioprocessing capacity will be 1 million tonnes by 2023 and palm-oil free; • development of circular economy initiatives for the production of hydrogen and methanol from the recycling of waste materials and from castor oil, both new feedstocks for biorefining; • European marketing consolidation favouring high-margin segments and further development of non-oil services in retail; • increased offer of alternative fuels and development of sustainable mobility. These actions will make it possible to achieve a cumulative organic free cash flow of € 2.6 billion over the period 2020-2023.

DOWNLOAD SECTION:

Long Term Strategic Plan to 2050 Presentation and Press Release: click here
To stay up to date about Eni' Publications: click here
Certificações de qualidade e ambientais

A fábrica de lubrificantes da Gavá possui um sistema de gestão focado na melhoria contínua da qualidade, respeito ao meio ambiente e à saúde e segurança das pessoas. Possui as seguintes certificações, que podem ser descarregadas em formato PDF a partir dos seguintes links:

ISO 9001: 2015
ISO 14001: 2015
OHSAS 18001: 2007